“Mascne”: máscara de proteção pode causar espinhas na pele “Mascne”: máscara de proteção pode causar espinhas na pele

“Mascne”: máscara de proteção pode causar espinhas na pele? Entenda!

Com o surgimento do novo coronavírus, a máscara de proteção facial se tornou um item indispensável na rotina das pessoas. No entanto, a mudança nos hábitos e o uso obrigatório do acessório trouxe um problema inesperado: o aumento da oleosidade e a formação de espinhas no rosto, o que resultou no termo “mascne” ou “maskne”.

Mas será que o acessório é realmente capaz de causar esses problemas na pele? Para esclarecer essa e outras dúvidas, nós reunimos aqui os principais efeitos dessa fase na pele e os cuidados necessários para tratar esses incômodos. Veja só!

 

Afinal, a máscara de proteção pode causar espinhas?

A junção dos termos “máscara” e “acne” pode até não fazer sentido para algumas pessoas, mas o incômodo causado por esse termo é real. Acontece que, para surpresa de algumas pessoas, o uso constante da máscara de proteção facial pode, sim, ser o principal motivo por trás do surgimento das temidas espinhas. Com o abafamento causado pelo acessório, a temperatura aumenta no rosto e estimula a produção de oleosidade, entupindo os poros e gerando a acne.


Além disso, o atrito causado pela máscara de proteção também pode resultar nas espinhas. No caso das peles secas, o abafamento é o agente responsável por alterar o equilíbrio da pele, provocando a irritação. Por outro lado, as donas de pele oleosa tendem a sofrer com a diminuição  da circulação de ar e do contato da pele com o ambiente, o que resulta no brilho excessivo e na obstrução dos poros. 

 

“Mascne”: descubra os cuidados necessários para evitar o surgimento desse incômodo 


Ao contrário do que algumas pessoas acreditam, não é necessário abrir mão do uso da máscara de proteção para evitar o surgimento das espinhas na pele - aliás, não se deve abrir mão do uso da máscara em hipótese alguma! Na verdade, uma boa rotina de cuidados com a pele pode ser o suficiente para prevenir esse incômodo. Quem possui a pele oleosa, por exemplo, não deve deixar de lado as etapas de higienização e hidratação do rosto, já que elas são as responsáveis por controlar o excesso de brilho e, consequentemente, as espinhas. Nesse caso, vale apostar em
produtos ricos em vitamina C, que limpa o rosto na medida certa e diminui a oleosidade.

Outro cuidado importante é uso de protetor solar com uma textura que se adeque ao seu tipo de pele para prevenir essa obstrução e as manchas. Nessa etapa, utilizar um hidratante facial com vitamina C e FPS pode ser uma boa forma de otimizar os cuidados. Além disso, as adeptas à maquiagem devem diminuir o uso dos cosméticos quando for utilizar a máscara. Em caso de dúvida, vale consultar o seu dermatologista de confiança para garantir o uso dos produtos adequados para o seu caso. Outra dica é optar por uma máscara rígida, que fica assente um pouco mais afastada da pele. 

 

É possível tratar as espinhas do rosto sem deixar de usar a máscara? 


Embora o seu organismo se encarregue de tratar a espinha aos poucos, existem alguns cuidados que podem acelerar esse processo e eliminar de vez esse incômodo. Lavar o rosto com gel de limpeza específico para o seu tipo de pele é o principal deles. Outro hábito importante é investir em hidratante facial com FPS para evitar o efeito rebote e proteger a pele. Além disso, também vale apostar em uma
máscara facial com ativos como vitamina C, carvão puro e camomila, que ajudam a hidratar e equilibrar a pele. Sendo assim, lembre-se de manter a sua rotina de skincare durante a quarentena, ok?!


Produtos Relacionados